(19) 98156-3410
contato@proimprensa.com.br








Inflação interna da indústria de calcário recua, mas segue viés de alta

01/08/2022

Inflação interna do calcário foi o dobro dos índices oficiais Foto: Divulgação

A inflação interna do segmento industrial de calcário apresentou um recuo em maio. Porém, segue em patamares elevados, puxados principalmente pelos produtos derivados de petróleo e acessórios para a moagem de minérios.

A conclusão vem do levantamento mais recente realizado pelo Sindical, o sindicato patronal que reúne as empresas produtoras de calcário agrícola. O custo na pedreira chegou a 33,7% no estudo anual até março. Depois, recuou para 21,5% em abril, e registrou nova queda, agora para 18%, em maio.

“Os custos de produção continuam elevados”, afirma João Bellato Júnior, que é presidente do Sindical e da Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola (Abracal). O levantamento leva em conta a inflação interna dos custos, investimentos e gastos gerais para a produção de uma tonelada de calcário, no período de um ano.

Os itens “Acessórios para Moagem” e “Óleo Diesel e Lubrificantes” lideram o ranking de alta. Em abril, eles haviam subido 58,8% e 54,5% no acumulado do ano. Em maio, eles apenas trocaram de posição, com elevação de 50,6% no diesel e 49,4% nos acessórios.

Na contramão, está a conta de luz. Houve um recuo de 4,5%, média, na conta para o setor, nos dois meses pesquisados. Júnior. O estudo foi coordenado pelo diretor executivo da Abracal e Sindical, Euclides Francisco Jutkoski.

Considerados os índices, o estudo reflete uma tendência geral da economia. Ainda em alta, a inflação tem apresentado recuos. O mercado deve sinalizar em breve a diminuição nos preços dos combustíveis.

Os índices oficiais dos últimos meses, apurados pelo governo, estão ficando similares ao do setor de calcário. Porém, a pressão ocorrida entre o final do ano passado e o primeiro trimestre de 2022 ainda afeta os negócios. Nesse período, a inflação interna do calcário foi o dobro dos índices oficiais.

“Temos feito um alerta aos associados para que os custos sejam acompanhados intensamente. Hoje, eles incidem cada vez mais nos resultados”, afirma Bellato.

Fale conosco

(19) 98156-3410 Limeira – SP contato@proimprensa.com.br Facebook Instagram Linkedin Twitter